01/04/12

A entrevista do século - Conde Drácula




Olá pessoal,
Estou bem enfraquecido por causa do sangue perdido pelas criaturas noturnas femininas que estavam com o vampiro mais famoso do mundo. O Conde Drácula.
Leiam abaixo a entrevista completa.

1) - Então você não era só um personagem de ficção do escritor Bram Stoker?
Ele me deu um nome. Eu já existia bem antes do Stoker escrever o livro "Drácula". Com a fama que o livro teve acabei por apropriar o nome. Se existe um vampiro no mundo que merece este título, este vampiro sou eu.

2) - E qual era o seu nome antes de pegar o nome Drácula?
Não era um dos melhores. Miroslav Kulovski, nasci na Eslovênia e quando fiz 13 anos fui morar na Polônia. na época 1750 ainda era uma nação, 35 anos depois foi dividida em três impérios, russo alemão e austríaco uma princesa austríaca me mordeu e fui transformado em um vampiro. Eu deveria assumir o trono mas algo deu errado e ela foi morta. Eu sabia que seria o próximo. Então fugi para França e lá fiquei por 40 anos. A minha idade permanecia nos 48 anos então não podia ficar muito exposto trabalhei em lugares onde pouca gente me notava e evitava ficar em bares e lugares muito movimentados.

2) - quando foi que se alimentou de sangue?
Eu não sabia que deveria me alimentar do sangue. Achava que só usavam este método para transformar alguém em vampiro. Só descobri quando comia sem parar e nada me deixava satisfeito. Eu tinha fome e era uma fome que me deixava louco. Foi uma época horrível. comi de tudo, até mesmo madeira, vidro até que o cheiro de sangue começou a me chamar a atenção. Entenda. Eu não pensava muito bem. Estava insano com fome. Corri procurando sangue. O cheiro era forte, encontrei um homem caído em uma encruzilhada. talvez tenha sido ali que nasceu a lenda de ter medo da cruz. O homem teve um acidente com o seu cavalo e a sua perna estava sangrando muito. Lembro dele falar comigo implorar por ajuda mas mesmo assim eu só conseguia mesmo Morder a perna dele e sugar o seu sangue.

3) - E o homem morreu? Como se sentiu fazendo isso?
Sentia-me alimentado. Revigorado. Eu pulava, corria e sorria a satisfação era incrível, mas eu tinha que me esconder. Pois meu corpo começou a ter efeitos nocivos do Sol. Estava com feridas e bolhas pelo corpo todo. Achei que eu iria ficar assim para sempre, mas quando chegou a noite o meu corpo se recuperou sozinho. Isso me deixava muito satisfeito porém a fome voltava tão forte que eu só pensava em caçar novamente. Depois de um certo tempo descobri que o homem que eu havia mordido tinha se transformado em vampiro mas nunca o encontrei novamente.

4) - E você chegou a encontrar o Bram Stoker?
Mais tarde acho que uns 50 anos para frente Sim! Ele era muito comunicativo. Quando fui para irlanda encontrei ele na biblioteca de Dublin dei uns livros para ele ler quando fosse viajar para Londres. coisas como O vampiro de Polidori e Carmilla do Sheridan Le fanu.

5) - Então foi assim que ele teve a ideia de escrever sobre o Drácula. E você esperou ele lançar o livro?
Eu só inspirei ele a escrever sobre vampiros. O grande problema é que quando vi a obra dele, viajei pelo mundo mostrando o livro. depois de algumas décadas em 1920, estive na Alemanhã e assisti um filme chamado "Satanás" e foi ai que eu pensei que este seria o diretor certo para produzir algo sobre vampiros. Falei com F.W. Murnau e dei a ideia para fazer algo sobre vampiros e apresentei o livro. Ele me perguntou qual era o meu nome e falei "Nosferatu" Foi complicado depois disso pois ele pegou muito da obra do Drácula. Acho que ele achava que o filme dele não iria sair pelo mundo mas o sucesso foi enorme e a Florence Stoker processou o filme e tudo foi queimado menos as cópias que estavam comigo.

5) - E quando o Drácula saiu pela produtora Universal você gostou?
Eu gostei do visual do filme. Já havia assistido a peça de teatro que o Bela Lugosi aparecia como Drácula. Era a pessoa certa. Só que ele não era loiro como eu, mas tudo bem ninguém imaginava que Drácula fosse loiro.

6) - E os filmes de hoje? você viu alguns?
Vi muitos! Cheguei a participar de alguns que o público nem chegou a perceber, mas era só ponta. nao queria muita atenção. Apareci no Drácula do Ford Copolla na parte que a Mina olha para o Drácula na rua. Passo bem perto da Winona Ryder e quase mordo ela. Tentei participar do Entrevista com o vampiro mas eu estava na jamaica na época e não deu. Apareci no Rainha dos condenados. Na hora do show. Sou um dos vampiros que estava com o púbico e sai voando só que não volto. o o pessoal iria desconfiar que eu não tinha cabo como os outros atores.

7) - Quer falar do Crepúsculo?
Não brinque com a minha paciência! (neste momento o Conde dividiu a mesa com um soco. Engoli seco e retornei as perguntas mais calmo como eu podia...)

8) - E os escritores aqui no Brasil? o que está achando de nossos livros?
Por isso estou aqui. Existe uma força que vem aumentando neste país sobre os vampiros e os escritores. Vejo muita criatividade, muita vontade de criar mais sobre o tema. O assunto sobre vampiros tem sido plantado aos poucos e logo meu rapaz este país será uma grande potência sobre o tema. Já tem novelas, livros, eventos e logo as series e o teatro, festivais, lojas, revistas e quadrinhos terão muita força. O que precisam é de mídia. mas eu já estou cuidando disso.

9) - Qual o recado que você deixa para os brasileiros?
Não tenham medo quando me virem. falem calmo e bem devagar. E nunca! Nunca perguntem se estou com fome.

10) - Última pergunta... Vou sair vivo dessa?
Depois que você postar no seu blog e divulgar nas redes sociais eu respondo para você.